Primeiro passo para SCJP 5.0 – 310-055

Autor: Angelo Vicente Filho (angelomicrolins@gmail.com)

 

Para fazer uma certificação não é necessário ser um excelente programador Java, mas sim, um conhecedor das peculiaridades da linguagem, por conseqüência, aprendemos a trabalhar nossos programas muito mais profissionalmente.

 

Mas como começamos a estudar essa linguagem? Primeiramente, sabemos que tipo de linguagem é Java? Interpretada ou compilada? Ou ambas? Bem, para que possamos entender vamos ver o que faz a JVM (Java Virtual Machine). Essa máquina pega um arquivo e interpreta-o, mas não pode ser totalmente interpretada, pois se isso fosse verdade ela leria automaticamente os arquivos .java, então o compilador javac compila os arquivos com final .java e a JVM os interpreta o que torna a linguagem Java interpretada e pós-compilada.

 

O que é um programa Java?

Um programa Java nada mais é do que uma coleção de objetos conversando com outros objetos por invocação por métodos. Esses objetos são tipos e esses tipos são definidos por classes e interfaces. Então podemos dizer que os programas Java utilizam coleções de objetos de vários tipos diferentes.

 

»                Classe: É um tipo definido pelo usuário que possui especificações (características e comportamentos) que o identifiquem. De uma maneira mais genérica podemos dizer que uma classe nada mais é do que um molde que será usado para construir objetos que representam elementos de vida real.

Classe = Características + Comportamentos;

 

»                Objetos: Digamos que temos um molde chamado Produtos e se eu perguntasse o que é um produto para você o que você iria responder? Para cada pessoa, um produto pode se diferenciar de uma pessoa para outra, isto é, o que pra mim um produto é um carro, para outro um produto pode ser um livro, basta ver o que foi que nós pensamos na hora de que foi feita a pergunta. Imaginamos que o produto fosse um livro. Core Java com preço de R$ 150,00. Quando nos lembramos de um produto isso ficou meio abstrato em nossa cabeça, mas quando falamos que o produto é um livro, veio a nossa cabeça vários livros e isso faz com que a abstração seja mais restrita e quando eu falei que o livro era o Core Java veio o livro em nossas mentes. O que eu quero dizer com isso? Bem, quando falamos em objetos falamos que o molde tomou forma, o objeto nada mais é do que a forma de como instanciamos as classes, e ele tem vida independente entre si apesar de compartilharem o mesmo molde. Exemplo é o ovo de chocolate da páscoa, tem um molde (Classe) e é feito vários ovos (objetos) e cada ovo é diferente do outro o que faz dizer que eles têm vida própria. Um objeto é criado quando utilizamos o operador new.

 

»                Métodos: Através dos métodos definimos as operações que podem ser executadas com ou sobre um objeto. Popularmente diz-se que os métodos definem o comportamento da classe.

 

Fundamentos da Linguagem

Lembrando que aqui usarei todos os padrões do JavaBeans, porém temos que saber que o que manda para a prova da Sun é o que o compilador executa.

 

Lembre-se também que colocarei aqui o que é necessário para que você possa ler e separar para criar a sua lista de estudos, então o que estiver dentro de caixas são muito importante e se você colocar separado em um arquivo e depois ler vai fazer um resumo de tudo aquilo que está aprendendo. E para começar veremos a parte de identificadores.

 

Identificadores Legais

Tecnicamente os identificadores legais são compostos somente por caracteres Unicode, números, símbolos de moeda ($), e conexão de caracter, conhecido como underline ou underscores. Aqui coloquei o que você precisa saber.

 

Identificadores somente começam com letras, símbolo de moeda e underscore ( _ ). Identificadores não podem começar com números!

Depois do primeiro caracter poderá haver a combinação de letras, números e símbolos.

Você não pode usar palavras reservadas Java como identificador. A lista de palavras reservadas aparecerá logo abaixo.

Identificadores Java são case-sensitive; logo foo e FOO são dois identificadores diferentes. {Não existe identificador com letras maiúsculas}

 

Exemplo de identificadores legais:

int _a;

int $c;

int __________2_w;

int _$;

int este_e_um_identificador_valido;

 

Exemplo de identificadores ilegais:

int :b;

int –d;

int #e;

int .fff;

int 7up;

 

avfpripscjpfig01.jpg 

Esta é a lista de palavra reservada

 

Sei que este artigo está meio teórico, mas isso somente acontecerá nos dois primeiros artigos, quando trabalharemos práticas de programação. Até a próxima.

Montando uma página com tableless

Fonte: http://ronnyroriz.wordpress.com/2007/10/13/montando-uma-pagina-com-tableless/


Neste artigo vamos aprender a montar uma página usando tableless. O artigo mostrará passo a passo como você proceder.
Bem vamos lá, sem muito “enrolação”.
Abaixo os passos de criação da página:

PASSO 1 – “CRIANDO UM ARQUIVO .CSS”:
Vamos criar nosso arquivo com extensão “.css” e daremos o nome de “style.css”, ainda colocaremos o mesmo dentro de uma pasta chamada css. Conforme abaixo:

PASSO 2 – “ESTRUTURANDO O SITE”:
Agora vamos fazer a estrutura que queremos. Que será um topo, uma barra de navegação na esquerda do site e um conteúdo com o restante. Conforme a figura abaixo:

PASSO 3 – “CRIANDO O ARQUIVO INDEX.HTML”:
Depois de escolhida a estrutura, vamos ao arquivo index.html
OBS: Você deve criar este arquivo na raiz de seu site ou seja no mesmo nível em que se encontra a pasta css. Conforme figura:

Criamos a referência do estilo da seguinte maneira:

<!DOCTYPE HTML PUBLIC "-//W3C//DTD HTML 4.01 Transitional//EN">
<html>
<head>
<meta http-equiv=”content-type” content=”text/html; charset=windows-1250″>
<meta name=”generator” content=”PSPad editor, http://www.pspad.com”&gt;
<link href=”css/style.css” rel=”stylesheet” type=”text/css” />
<title></title>
</head>
<body>

</body>
</html>

Agora vamos a criação das divs. Dentro das tags <body> escreva:

<div>
<div id=”body”>
<div id=”top”>
Cabeçalho
</div>
<div id=”midle”>
<div id=”menu”>
<ul>
<li>Menu 1</li>
<li>Menu 2</li>
<li>Menu 3</li>
</ul>
</div>
<div id=”content”>
<blockquote>Conteúdo aqui</blockquote>
</div>
</div>
</div>
</div>

Onde: id=”body” é igual ao corpo externo da página; “top” é igual ao cabeçalho do site; “midle” é igual a todo conteúdo abaixo do topo; “menu” são os menus e “content” é igual ao conteúdo.

Vamos agora ao css para atribuir os estilos para estes objetos.

body { margin:0px; padding:0px; font-family:"Trebuchet MS",Arial, Helvetica, sans-serif; font-size:12pt; }

#body { width:779px; }

#top { width:779px; text-align:center; padding:50px 0px 50px 0px; float:left; background-color:#000000; color:#FFFFFF; font-size:22pt; }
#midle { width:779px; float:left }
#menu { width:150px; float:left; background-color:#CCCCCC; }
#content{ width:625px; padding:20px 0px 20px 0px; float:left; border:2px solid #CCCCCC;}

Após feito isto é só apreciar seu código.

O resultado final é algo parecido com isto:

Isso aí pessoal, até a próxima.

Nícolas Müller – Portal Oficina da NET